(48) 3224-1000 agencia@bturismo.com.br

DICAS DE VIAGEM

Antes de ir, programe-se.

1. Não deixe de alugar um carro em Orlando. Tudo é longe. Fica mais fácil ainda alugar junto um GPS, aí ninguém se perde mesmo.

2. Caso sua intenção seja visitar somente os Parques da Disney, aí sim, poderia ficar sem carro. A opção seria ficar em um dos Hotéis do complexo Disney que oferece transporte gratuito para todos os Parques. Só fique ciente de que pode haver filas. Alguns Hotéis são atendidos por monorail, ônibus e barcos.

3. Alugar uma casa em Orlando pode ser uma boa opção para quem quer ficar um pouco mais de tempo. O importante é não ficar muito longe dos Parques e ver se a casa dispõe de serviço de arrumação e limpeza.

4. O café da manhã geralmente não está incluído na diária dos Hotéis. Uma boa dica é tomar o café da manhã nos McDonald´s. Tem alimentos saudáveis (verdade), baratos e tem bastante lojas.

5. Quem fica em Hotéis do Complexo Disney recebe uma chave eletrônica para abrir os quartos. Esta mesma chave serve como entrada nos Parques e Estacionamentos, e também serve como cartão de crédito. Imagine assim, você compra já no Hotel os ingressos que são liberados na sua chave, depois faz um depósito de U$100,00 em cada chave e dá para os seus filhos usarem como dinheiro nos Parques. Não é uma tranqüilidade?

6. Na Disney existe hoje o Fast Pass, que é uma forma de não ficar muito tempo nas filas das atrações. Você tem que levar consigo as chaves (ingressos) e nos quiosques do fast pass você as insere, um pequeno papel sairá com o horário que você terá que voltar para a fila. Neste meio tempo você pode visitar lojas, outros brinquedos, banheiros e comer alguma coisa. Na dá para acumular entradas do Fast Pass.

7. Se for aos Parques de Carro, não deixe de anotar o número do espaço onde estacionou. Os estacionamentos são enormes e é muito fácil esquecerem onde estão os carros. Principalmente porque ninguém decorou a placa e modelo do carro alugado. A dica é tirar uma foto da marcação da vaga do carro na sua câmera digital. Se quiser coloque um adesivo no seu carro para diferenciar melhor dos outros.

8. Orlando tem mais de 113 mil quartos de Hotel, então com certeza um deles vai caber no seu modelo de estadia. Cuidado com os muito baratos, se for o caso de querer um destes, a opção é um dos Hotéis de cadeia como Marriott, Sheraton, Hilton, Hyatt, etc.

9. São aproximadamente 95 atrações em Orlando, daria para ficar um mês tranquilamente. Mas as atrações imperdíveis são Magic Kingdom, Epcot, MGM, Animal Kingdom, Sea World, Universal Studios, Aquatica e Adventure Island. É lógico que não podemos esquecer de Discovery Cove, Typhon Lagoon, Blizzard Beach e Wet´n Wild.

10. Para os amantes de Golfe, Orlando tem 168 campos. Dá perfeitamente para conciliar as atividades de lazer com o Golfe. Vale a pena conhecer o campo do Ritz Carlton e JW Marriott.

11. Orlando está situado no centro da Flórida, na metade do caminho entre Miami e Jacksonville. Uma hora somente da costa do Atlântico e uma hora e meia do Golfo do México. De Miami são 4 horas de carro.

12. Um Hotel que tem feito sucesso é o Nick Hotel. É administrado pelo Holiday Inn e tem o Tema dos personagens da Nickelodeon. As suítes tem 2 ou 3 quartos. Tem 2 piscinas enormes, café da manhã com personagens e transporte gratuito para a Disney (1 milha) e para a Universal.

13. Se tiver tempo na sua estadia visite também o Busch Gardens em Tampa, o Cirque du Soleil em downtown Disney, Cypress Gardens, Disney Quest, e Skyventure Orlando.

14. Falando em compras que tal o Mall at the Millenia, o Florida Mall, Premium Outlet, Belz Outlet Mall e Altamonte Mall.

15. Eletrônicos são encontrados nas melhores lojas da região, Best Buy e Circuit City. O Best Buy está perto do Florida Mall e o Circuit City ao lado do Mall at the Millenia.

16. Nordstrom e Saks estão no Florida Mall. A loja da M & M também.

17. Tiffany´s e Macy´s no Millenia. Visite a loja da Discovery (Show).

18. Se quiser alugar uma Harley Davidson, Orlando oferece os últimos modelos. O site da Monark pode dar todas as informações da Eagle Rider.

19. Não deixe de dar uma ou mais paradas no Walgreens, é 24hs. É difícil sair de uma loja deles de mão abanando.

20. Quem quiser visitar uma parte super charmosa de Orlando deve ir a Winterpark. Ao norte de Orlando este pequeno pedaço tem lojas bacanas e restaurantes transados.

21. Não deixe de reservar uma noite para conhecer o restaurante Crab House que fica próximo ao Lake Buena Vista. As patas de caranguejo são as pedidas. Quem gosta de Alho peça o Garlic Crab Bowl.

22. E o Rainforest Café? No Disney Downtown Marketplace. Prepare a câmera e vá com as crianças. Faça a reserva.

23. O Planet Hollywood é muito interessante e fica em Downtown Disney. O tema, é lógico, são os filmes de Hollywood.

24. O Hard Rock Café que fica na Universal é também um lugar bacana de se ir. O tema é a música, aqui o Rock vence.

25. Alguém gosta de comida Oriental? Então vá ao Benihana que fica dentro do Hilton at Lake Buena Vista. É realmente um show. Faça reserva.

26. No primeiro dia de chegada em Orlando, geralmente só se pode entrar no Hotel depois das 15:00hs, mas os Hotéis tem espaços para deixar a bagagem. Não recomendamos deixar as malas no carro e ir passear. Opte por deixar no Hotel.

27. Tente alternar os dias entre parques que ocupam o dia inteiro e parques de meio dia. Por exemplo, Magic Kingdom, Epcot, MGM e Universal que tem shows no fim do dia, merecem passeios de dia inteiro. Qualquer um dos parques aquáticos vão ser muito bem vindos depois de um dia inteiro de parque.

28. Quem gosta do milho americano (corn on the cob), pode encontrá-lo no Tony Roma´s. Existem várias em Orlando, pode ser a da International Drive perto do Mercado e Centro de Convenções.

29. Um Hotel estilo flat com uma mini-cozinha, sala e quarto é o Springhill Suítes. Preço fabuloso, café da manhã incluído, internet, estacionamento, etc. Escolha o do Lake Buena Vista Village que tem área de alimentação 24hs.

30. Ficou com fome à noite? Ligue para a Domino´s Pizza, se não chegar em 30 minutos, você não paga. Peça a de peperoni com extra cheese.

31. Nunca foi para Orlando ou não se dá bem com mapas? Alugue um GPS. Formidável.

32. Crianças tem que andar no banco de trás, e até 7 anos em cadeirinhas de criança. Não saia da locadora sem elas.

33. Alugue um carro all inclusive. Isso quer dizer que já está no preço a locação, todas as taxas, seguros necessários e um tanque de gasolina. Isso quer dizer que você não paga mais nada lá, não aceite mais nenhum seguro, cuidado, os atendentes lá são comissionados e tentam enfiar na nossa goela outros seguros.

34. Quando o atendente da locadora imprime o contrato da locação do carro, MUITA atenção nesta hora, ele vai pedir para colocar as iniciais em vários itens e depois assinar no final da página. A pegadinha é nos itens, cada item tem um 2 quadradinhos múltipla escolha que estão escritos, ACEITO (Acept) e NÃO ACEITO (DO NOT ACEPT), e se ele por má fé colocou aceito em algum item que você não aceitou e você não notou, já era!! Vai ser cobrado do seu cartão por este item que pode ser um seguro ou um upgrade de carro. Depois para pedir o reembolso, eu diria que é impossível.

35. Portanto não assine nada que não aceitar e não assina nada que não tiver certeza. A dica é usar o sistema de Auto Atendimento, é um computador, bastante simples, e o melhor é que não tem interferência HUMANA.

36. Se você está na região da International Drive e quer ir para a Disney pegue a direção West na I-4, para Orlando pegue a direção East. Associe W de West ao W de Walt Disney.

37. Gosta de esqui aquático? Orlando é o grande centro deste esporte nos EUA. Vá pela I-4 para o centro de Orlando e saia no Lake Ivanhoe. Você vai encontrar no lago rampas e pistas de esqui. Vale a pena fazer uma aula.

38. Existe algumas atrações interessantes como o Medieval Times, onde você presencia uma luta medieval e saboreia um bom pedaço de frango com as mãos. Tem Rei, Rainha, lutas, cavalos, armaduras, etc. Faça a reserva. O site é www.medievaltimes.com .

39. Um Dinner Show interessante é o Pirate´s. O tema você já sabe. Visite www.piratesdinneradventure.com . Faça a reserva.

40. Nos Parques da Universal Studios e Island of Adventure, existe o Express, que é um ingresso que dá direito a ingresso rápido nas atrações. É muito legal. Você paga um pouco a mais e ganha em tempo durante o dia, vale a pena. Quem se hospeda nos Hotéis da Universal que são o Portofino Bay Hotel, o Hard Rock Hotel e o Royal Pacific Resort, tem o Express automaticamente.

41. No Sea World, a primeira coisa a se fazer é pegar um mapa e os horários das atrações. Assim você pode se programar e pegar todos os shows. Não perca a Shamu no Shamu Stadium, se organize para chegar cedo para pegar lugares bons. As primeiras 10 fileiras da platéia, são as Splashing Áreas, isso quer dizer que a baleia vai mandar água na turma que ficar ali. Se esta for a sua intenção, aproveite!

42. Não deixe de entrar no restaurante do Sea World que tem o aquário de tubarões dentro. Faça reserva quando chegar no parque. Se não der, entre mesmo assim e tire umas fotos. Veja o balcão do bar, surpresa!

43. Para as crianças alugue um trolley (carrinho) no Sea World, cada atração tem o estacionamento de trolleys. Identifique bem o seu para não perdê-lo. Não deixe nada de valor nos carrinhos.

44. Antes da Viagem entre no site da Disney.com e procure o Calendário. Com isso você vai poder se programar com os horários de abertura e fechamento de cada parque. Hospedando-se dentro da Disney você tem acesso aos Parques uma hora antes de abrir ou uma depois de fechar. Consulte para ver os dias.

45. Quem tem necessidades especiais é muito bem vindo à Orlando. Aliás, existem muitos dentro dos parques, e eles se divertem muito com certeza. O site dos parques tem bastante informações a este respeito.

46. Existe uma variedade muito grande de refeições com personagens da Disney. No site da Disney existem todas as informações inclusive o jantar com as princesas que é no Epcot, pavilhão da Noruega. Ou até o almoço com a Cinderela no Palácio de Cristal. Corra e faça sua reserva até com 180 dias de antecedência. Muito? Para a Disney não. Então não durma no ponto, faça a sua reserva no 1-407-939-3463 (1-407-WDW-DINE).

47. Quer uma ajuda para elaborar a sua viagem? Visite o site da Monark www.monark.tur.br e depois o site do Orlando Convention and Visitor´s Bureau que é www.orlandoinfo.com/portugues .

48. Para dirigir na Flórida você precisa de uma carteira de motorista válida, a brasileira é aceita normalmente. Respeite as regras de trânsito, faróis, velocidade, cintos, crianças etc. Uma dica que é diferente daqui é que em faróis vermelhos para você, a conversão a direita é permitida. Quando não é, está mencionado numa placa – NO TURN ON RED. Nem pense em beber e dirigir.

49. Viajar para Orlando sem cartão de crédito é uma fria. Nos hotéis e locadoras o cartão de crédito é usado como garantia. Se você não tiver se prepare para deixar dinheiro cash como garantia, 500 aqui, 100 ali.... O problema que a garantia no cartão come o limite de crédito, isso atrapalha as vezes o uso normal do cartão.

50. Na Flórida, todas as suas compras estão sujeitas a taxa do estado que é de 6,5 a 7% dependendo do condado (município), e nos hotéis tem mais 2 ou 5% de de resort. Então quando você comprar uma camisa de U$10,00, no caixa você terá a taxa adicionada ao preço.

51. Orlando é muito quente de maio a setembro, quente mesmo, até 40 graus! Leve protetor solar, óculos escuros e roupa bem leve. Nesta época fique preparado para as tempestades, compre uma capa dentro do parque mesmo. Quando começa a ameaçar de chuva, parece o centro de São Paulo, aparecem ambulantes vendendo capas.

52. No inverno você pode pegar frio. Fique preparado principalmente para a noite que a temperatura desce muito.

53. Consumir bebidas alcoólicas, só para maiores de 21 anos com identidade com foto. Não tem jeitinho brasileiro.

54. No hotel, use o cofre. Guarde dinheiro, jóias e passaporte. Se gostar de andar com o passaporte, tire um xérox colorida da pagina do numero e da pagina da foto, plastifique e ande junto com você. Numa emergência pode ajudar.

55. Você lembra da Dolly Parton? Aquela loira que faiz filmes de faroeste? Então, ela tem uma atração que se chama Dixie Stampede, que é um Show seguido de jantar. Tem muitos cavalos, búfalos, porcos, caubóis. Visite www.dixiestampede.com . Precisa de reserva.

56. Se você tiver tempo de sobra e estiver calor, pode passar uma tarde no Wet´n Wild. Embora já tenhamos no Brasil, o de Orlando é o máximo.


57. Falando em Dinner Shows, tem o Arabian Nights que é um jantar das Arábias com show típico. Visite www.arabian-nights.com . É um show com lindos cavalos e uma história interessante com princesa e tudo. O jantar é bom, faça a reserva.

58. Você já foi a um Supermercado em Orlando? Vale a pena ir, principalmente no Goodings. Um show. Fica na International Drive, 8255.

59. Cansou de comer sanduíches e fast food? Quando estiver andando por Orlando entre num Olive Garden. Tem comida Italiana e ótimas saladas. O preço? Muito bom.

60. Um restaurante diferente com clima do Caribe é o Bahama Breeze. Vá no da International Drive 8849 ou no Lake Buena Vista, pertinho do Premium Outlet e Marriott Village. Carnes e frutos do mar.

61. O Cabo Canaveral fica a uma hora e meia de Orlando no sentido do Atlântico. Pegue a Beeline East. É muito interessante ver tudo dentro da atração da NASA. Reserve um dia para o passeio. No Rocket Garden existem 8 foguetes inclusive o Mercury-Atlas que lançou John Glenn na primeira órbita da Terra. Não deixe de chegar cedo para ver os 2 filmes, “The Dream is Alive” e “Space Station” que é em 3D. Sensacional! Que tal uma réplica em tamanho natural do ônibus espacial? Além de tours, encontro com astronautas e lojinhas é claro.

62. Tampa é onde fica o Busch Gardens. Lá você vai visitar um bom Zoológico e terá montanhas russas radicais. Saia de Orlando pela Interstare 4 sentido West, por 1 hora. Visite o www.buschgardens.com .

63. Compras. Quanto estiver comprando eletrônicos, principalmente tocadores de DVDs para casa ou carro, ou até mesmo um computador com drive de DVD, NÃO se esqueça de que DVDs da região do Brasil NÃO vão tocar no aparelho se você esquecer de pedir para o atendente liberar a região 4, que é a nossa.

64. Na locação de um carro, depois de tudo, você vai receber o número da vaga de estacionamento que seu carro está. Chegando no carro veja se não existe nenhum amassado que possa lhe prejudicar quando devolvê-lo e entrando no carro, veja se o tanque está cheio e se o cheiro não o incomoda. Se houver algo que realmente não agrade, volte no balcão e peça para mudar de carro.

65. Se você nunca dirigiu um carro automático, ou se já dirigiu e não notou, sempre que for passar o câmbio automático para a letra D de DRIVE, pise no freio. Isso libera a alavanca e você vai conseguir levar para o D. Muita gente se dá mal com isso.

66. Não jogue nada pela janela do carro, além de ajudar a manter a cidade limpa e mostrar a educação dos brasileiros, você pode tomar uma multa de U$500,00.

67. Tenha sempre algumas moedas no carro. No caso de você estar andando pela Beeline existem pedágios, e neles tem 2 tipos de cabines, EXACT CHANGE que é para gente que tem as moedas exatas e o CHANGE RECEIPT, que serve para quem não tem as moedas certas e precisa trocar dinheiro.

68. Vamos lá. Acho que você quer uma sugestão de quantos dias ficar em Orlando. Eu diria que só o fato de ir para lá já é especial mas recomendo um mínimo de 8 dias, que são 7 noites. Mas prepare-se para a Maratona.

69. Primeiro dia. Você vai chegar em Orlando, pegar o carro na locadora e ir para o Hotel deixar as malas. Se der sorte vai conseguir entrar no quarto se o Hotel estiver vazio. Aí a ansiedade vence o cansaço da viagem e você vai querer fazer um dos parques imediatamente. O Sea World é uma ótima pedida porque não demanda do dia inteiro. Fique até o show da Shamu no fim do dia.

70. Segundo dia. Agora chegou o dia do Magic Kingdom. Vá cedinho para chegar as 09:00hs. Pegue o mapa na entrada e trace o seu roteiro. Imagine-se em um acampamento de Cowboys encabeçado pelo próprio Woody. Ou em uma oficina que ensina as destrezas de um pirata, ou ainda participar de um baile com as princesas. Enfrente o pirata preferido por todos, o Capitão Jack Sparrow, que passou a fazer parte da tripulação da atração Pirates of the Caribbean! Desafie o famoso trio de montanhas do Magic Kingdom, pilotando um foguete pelo espaço, serpenteando pelos cumes do velho oeste em um trem mineiro e mergulhando até o esconderijo secreto do Coelho Brer. Além disso, viva uma maravilhosa aventura musical com o Pato Donald, através dos filmes clássicos da Disney, no Mickey’s PhilharMagic 3-D Spectacular. Se neste dia houver o Show de fogos, Wishes, assista em um local estratégico para ir embora logo em seguida. Prepare-se para a multidão. Existem mais duas paradas durante o dia, chequem os horários – SpectroMagic e Disney Dream Come True Parade.

71. Terceiro dia, Epcot. Mesmo esquema do Magic Kingdom, chegue cedo. Desde emoções de arregalar os olhos até criações inimagináveis, o Epcot é o lugar onde a magia da Disney junta-se às maravilhas do mundo real. Embarque num ‘mariscomóvel’ para acompanhar Marlin e Dory em suas brincadeiras com o sempre curioso peixe-palhaço, em The Seas with Nemo & Friends. Depois, converse cara a cara com Crush, sua tartaruga preferida. Esta diversão submarina foi inspirada no filme Finding Nemo, da Disney•Pixar. Deixe que sua imaginação alcance novas dimensões, enquanto você é lançado aos céus em um impressionante vôo, na atração Soarin’™! Depois, escolha entre duas incríveis viagens até o planeta Marte, em Mission: SPACE. Aperte os cintos para vivenciar toda a força da versão original ou desfrute de uma viagem mais suave até Marte. De volta à Terra, entre na pista de alta velocidade para enfrentar as provas automobilísticas. Comece pela esfera e depois todos os pavilhões. Depois de todos feitos vá para o lago e visite todos os países. Se quiser almoçar ou jantar em algum restaurante dos países, faça a reserva com antecedência. Que tal o Alfredo di Roma? Termine o dia num local estratégico para ver o show de laser e fogos IllumiNations: Reflections of Earth. Testemunhe um caleidoscópio noturno emocionante enquanto o céu entra em erupção com mais de 1.100 explosões pirotécnicas e o extraordinário Globo Terrestre flutua pela lagoa, revelando maravilhas dos sete continentes em suas telas LED em curvatura — o primeiro do mundo deste tipo.

72. Quarto dia, MGM que agora chama Disney´s Hollywood Studios.Chegue cedo também, mapinha na mão e fique atento ao horários dos shows para não perder nenhum. Entre no Hollywood Boulevard e, de repente, você estará no meio de um cenário, no único lugar que reúne as emoções do cinema, a diversão da televisão e o melhor da Broadway. Este é também o único lugar onde você poderá encontrar algumas das estrelas mais quentes do momento, desde Kim Posible e os Little Einsteins™ da Disney, até os Power Rangers, além dos seus amigos de quatro rodas inspirados no filme Carros, da Disney•Pixar! O parque inclui ainda uma explosiva emoção em alta velocidade – Lights, Motors, Action!™ Extreme Stunt Show! Você terá uma visão por trás dos bastidores das produções de cinema, enquanto o diretor filma uma cena de perseguição, cheia de ação, com carros alucinantes, motocicletas voadoras e um final espetacular. Pronto para mais emoções? Você gritará ao descer rapidamente de uma altura alucinante de 13 andares, em uma inesperada experiência num elevador. Acelere de 0 a 95 km/h em 2,8 segundos, embalado pelo alucinante rock do Aerosmith, neste estrondoso e eletrizante passeio por Hollywood. Mais tarde, desfrute de uma impressionante apresentação ao vivo de Beauty and the Beast. E a seguir? Visite JoJo, Bear, Stanley e todos os seus amigos do Playhouse Disney! Depois, ao pôr-do-sol, divirta-se com as aventuras de Mickey Mouse, que enfrenta os mais terríveis vilões da Disney, na espetacular apresentação noturna Fantasmic! Chegue bem antes para pegar lugares, quando lota eles fecham a entrada. O show o leva para dentro dos sonhos de Mickey Mouse quando os vilões da Disney invadem a fantasia do Mickey e transformam seus sonhos em pesadelos. O Mickey usa o poder do bem para triunfar sobre os malfeitores.

74. Sexto dia. Cansado né? Você pode dar um break neste dia e ir a um Parque Aquático para amenizar o desgaste. São 4 opções, Typhoon Lagoon, Blizzard Beach, Aquática e Wet´n Wild. O mais novo é o Aquática. No fim da tarde vá a um dos Shoppings, o Premium Outlet vai ser uma boa pedida.

75. Sétimo dia. Voltando para a Maratona, este dia é a Universal Studios e Island of Adventure. Você vai ver Shrek, Revenge of the Mummy, Fear Factor, Men in Black, Jimmy Neutron, Twister, Blue Brothers, Lucy, Tubarão, Barney, Pica Pau, E.T., Exterminador do Futuro, Spider Man (montanha russa), Acceletron, Super Heróis Marvel, Popeye´s, X-Man, Jurassic Park, Incrível Hulk (montanha russa) e muito mais. Compre o Ingresso que dá direito aos 23 parques. Chegue cedo mesmo se não vai ficar complicado. Organize-se, é muita coisa para um dia só.

76. Oitavo dia. Arrume as malas, faça o checkout no Hotel e peça para guardarem as malas. Dia para refazer uma dos parques ou visitar os outros 2 Shoppings. Cuidado com o horário, seu avião sai hoje, calcule para estar devolvendo o carro com 3 horas de antecedência da decolagem. Pegue o ônibus na locadora e esteja no aeroporto com 2:30hs antes da decolagem. Não esqueça nada no carro, veja tudo, porta malas, em baixo do banco, porta trecos, porta luvas.

77. Viu como é complicado fazer em 8 dias? Se puder fique mais 2 dias para visitar o Busch Gardens em Tampa ou dedicar um dia para a ISland of Adventure e ter mais tranqüilidade para fazer os parques.

78. Quer visitar a Disney Downtown Aérea? Para explicar melhor a área de Downtown Disney é uma empolgante metrópole de restaurantes de celebridades, clubes noturnos, teatros e lojas, incorporando o Marketplace, Pleasure Island e o badaladíssimo West Side, que é um sucesso de bilheteria. Novas atrações favoritas incluem: BET SoundStage Club, DisneyQuest Indoor Interactive Park e o fantástico La Nouba™, e uma performance do Cirque du Soleil® .

Ingresso Magia à sua Maneira Básico
Este ingresso básico fornece entrada aos quatro parques do Walt Disney World (um Parque Temático por dia). Para ainda mais diversão e flexibilidade, você pode acrescentar as opções “Parque Aquático e Mais Diversão” ou “Park Hopper”.

Opção Parque Aquático e Mais Diversão
A Opção Parque Aquático e Mais Diversão fornece uma variedade de lugares para visitar: Parques Aquáticos Disney’s Blizzard Beach e Disney’s Typhoon Lagoon, DisneyQuest Interactive Theme Park, Downtown Disney Pleasure Island e Disney’s Wide World of Sports Complex. Mas sempre 1 só parque por dia.

Opção Park Hooper
Flexibilidade total- Com a Opção Park Hooper você pode visitar vários parques em um dia, como preferir. Volte às suas atrações favoritas sem precisar usar outro ingresso de um dia e, se você estiver hospedado em um Hotel Resort Disney, poderá aproveitar os benefícios das Horas Mágicas Extras.

83. Hotéis Econômicos na Disney. Se você quer ficar dentro da Disney e pagar pouco sem luxo, é aqui que tem que ficar. Os quartos são pequenos com 24m2. São 4 opções, All Star Sports, All Star Music, All Star Movies e Pop Century. Quartos básicos e pequenos, 2 camas queen ou 1 king, tudo muito colorido de acordo com os temas de cada Hotel. Eles tem praça de Alimentação que dão uma bela ajuda e piscina boa. Ficam um pouco distante dos parques mas tudo bem. O bom é que você consegue parar o seu carro bem perto do seu quarto.

84. Hotéis Moderados na Disney. São hotéis com um pouco mais de conforto do que os Econômicos e melhor localizados. Também são temáticos e recriam lugares e épocas do passado desde o colorido Caribe até o melhor de New Orleans. Também tem área de alimentação o ótimas piscinas. O quarto típico já tem 29m2 epodem ser com 2 camas Queen ou 1 King. Existem 4 opções, o Caribbean Beach Resort, Coronado Springs Resort, Port Orleans Resort French Quarter e Port Orleans Resort Riverside. Qualquer um deles pode ser escolhido.

85. Hotéis Deluxe na Disney. Maravilhosos. Muito conforto e muito legais. Ficam bem próximo das diversões e 3 deles tem o Monorail para levar e trazer dos Parques, são eles o Contemporary, o Polynesian e o Grand Floridian. Os quartos variam entre 37 e 41 m2. O Contemporary e o Polynesian são os mais antigos, no primeiro tente sempre ficar no prédio principal. Já o Grand Floridian é o mais requisitado por seu serviço e beleza. Também seus restaurantes tem personagens da Disney. Além destes Hotéis o Fort Wilderness Resort tem quartos e studios, vale a pena ir conhecer. Ele é feito de madeira tipo resorts de neve. Tem também o Boardwalk Resort que fica anexo ao Epcot Center e por isso seus hospedes podem entrar no parque e ir jantar cada vez em um país. Chique né? Agora chegou a hora do Animal Kingdom Lodge que fica vizinho da Savannah do Animal Kingdom. Isso quer dizer que se você pegar um quarto com Savannah View você pode acordar e ter uma Girafa olhando para você pela janela. Não é o máximo?

86. A sua família quer ficar numa Vila e dentro Disney? Pode ser. Os confortos do lar com todos os extras de um hotel. Depois de um dia intenso nos parques, não há nada como voltar para um hotel que oferece todo o espaço, serviços e comodidades do lar, mas sem as preocupações! Estas unidades com diversos quartos são ideais para famílias e grupos numerosos, acomodando até doze hóspedes. Cozinhas ou kitchenettes totalmente equipadas. Vamos lá, tem o Saratoga Spring´s and Resort Spa, o Disney´s Beach Club Villas, o Disney´s Old Key West Resort, o villas at Wilderness Lodge Resort e o Disney´s Boeardwalk Villas. Existem Villas de 1 quarto com 66m2, de um Studio com 33m2 e de 2 quartos com 100m2. Os estúdios acomodam até quatro hóspedes, mais uma criança menor de 3 anos em berço, e possuem uma kitchinete, uma cama queen-size, sofá cama duplo, TV, ventilador de teto e sacada ou varanda privativa. As ‘Villas’ são compostas por um ou dois quartos, acomodando de quatro a oito hóspedes, mais uma criança menor de 3 anos em berço, e oferecem uma cozinha totalmente equipada, uma cama king-size e jacuzzi na suíte principal, sofá-cama duplo queen-size na sala de estar, TV/leitor de DVD e uma sacada ou varanda privativa. As ‘villas’ de dois quartos possuem um quarto adicional com TV e duas camas queen-size, e banheiro privativo.

87. A temperatura nos Estados Unidos se mede em Fahrenheit, para se transformar em Celsius a fórmula é (Fahrenheit – 32) X 5 / 9 = Celsius. Portanto se você ver que a temperatura está 90° Fahrenheit, equivale a 32,22° Celsius.

88. Falando em calor, existe um pequeno ventilador que borrifa água junto com o vento. Existe em todos os parques para ser comprado. Quem sofre muito com o calor pode adquirir um para amenizar o sofrimento.

89. Uma dica para as famílias é comprar um Radio tipo Walkie-Talkie, os melhores são da Motorola (Talk About) e da Cobra. Compre um que tenha alcance de 3 milhas no mínimo, todas as lojas de eletrônicos tem. Assim vocês podem fazer roteiros diferentes e se encontrar em determinado brinquedo ou para o almoço. Não se esqueça de carregar à noite.

90. Compras na Disney para quem está hospedado nos Hotéis Disney dão direito a mandar entregar o pacote no quarto do Hotel. Prático hein!

91. Falando em gorjetas, nos Estados Unidos os garçons esperar por 15% do valor da nota. Nos Hotéis dê U$1,00 por mala para o carregador. No caso de uma excursão, dê um presente para o guia no final, ele vai gostar muito.

92. Postos de gasolina. Não existem frentistas, isso quer dizer que você vai encher o tanque, antes vá até o guichê e faça um depósito, por exemplo U$30,00, aí ele libera a bomba de gasolina que seu carro está para colocar os trinta dólares. Outra possibilidade é pagar com cartão de crédito direto na bomba. Passe o cartão no local apropriado e encha o tanque.

93. Uma outra dica para os parques, quando chegar cedo vá para as atrações mais longe da entrada, elas estarão vazias. Se chegar tarde vá nos brinquedos mais perto da entrada porque a multidão já vai estar mais longe.

94. Ficou sem dinheiro? Vá até um caixa ATM e tire dinheiro do seu cartão de crédito. É uma salvação embora o cartão cobre juros por adiantamentos.

95. Já ouviu falar do Gatorland? É uma atração sobre os jacarés e crocodilos. É bastante educativa. http://www.gatorland.com/

96. Uma outra atração é o Guiness World Records Experience. É um tour de curiosidades sobre o livro dos Recordes. Alguns feitos estarão sendo demonstrados no local. http://www.guinnessattractions.com

97. Quer andar de Balão em Orlando? Vá até a Orange Blossom Balloons que você terá uma visão esplendorosa. Faça reserva. http://www.orangeblossomballoons.com/

98. Uma casa de cabeça para baixo em plena International drive, uma atração interessante com simulação de terremotos de 5.3 na escala Richter e muito mais em terceira dimensão. É a Wonder Works. http://www.wonderworksonline.com/


99. Não use o telefone do quarto do Hotel, é caríssimo. Se levar o seu celular também se prepare para a conta mesmo para as ligações recebidas que são tarifadas. Uma opção legal é o Nextel no uso do rádio. Mas só o rádio mesmo. No caso de ter mais de um com a sua família, nem precisa comprar o Walkie-Talkie.

100. A última dica é para não comprar um pacote da Disney sem consultar a Monark Turismo. A Monark inaugurou a Disney e sabe muito bem como funciona tudo nos parques, hotéis e atrações. Foram mais de 1000 vôos fretados para Orlando atendendo milhares de passageiros. Nosso site tem uma área especial da Disney e da Universal Studios. Visite. Agradecemos e boa viagem!

Tome muito cuidado com qualquer tipo de comida local. Comece com pratos leves para se habituar aos poucos. Pergunte sempre o que vem no prato que consta do cardápio. Evite saladas, comidas cruas, alimentos muito gordurosos em lugares quentes e com problemas de refrigeração. Recorra a massas ou sopas se não se adaptar à cozinha local.
Ao alugar um carro, prefira veículos pequenos com porta-malas fechado. Esteja munido de carteira de motorista. Respeite as leis de trânsito, limites de velocidade e permaneça à direita até se acostumar com o trânsito.
COMUNICADO DE ESCLARECIMENTO DA COMISSÃO EUROPÉIA DE TURISMO PARA A AMÉRICA LATINA SOBRE AS FORMALIDADES DE ENTRADA DE CIDADÃOS BRASILEIROS NA EUROPA (ESPAÇO SCHENGEN)

A Comissão Europeia de Turismo (CET) é uma organização sem fins lucrativos com sede em Bruxelas, na Bélgica. Fundada em 1948, a CET reúne 33 países com um objetivo em comum: promover a Europa e seus destinos turísticos por todo o mundo. Hoje, o grupo operacional da CET para a América Latina, tem nove Países integrantes – Alemanha, Espanha, França, Grã-Bretanha, Irlanda, Itália, Polônia, Portugal e Suíça.

Como é do conhecimento geral, os cidadãos brasileiros não necessitam de visto para entrar em qualquer um dos Países Europeus integrantes do espaço Schengen, quando estiverem se deslocando a turismo e por no máximo 90 dias. Os Países integrantes do Espaço Schengen são a Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Itália, Islândia, Luxemburgo, Noruega, Países Baixos, Portugal e Suécia.

A isenção de visto não exime os turistas brasileiros do cumprimento de algumas formalidades de entrada no espaço Schengen, a saber:

1) passaporte com validade superior a 6 meses;

2) bilhete de viagem aérea (ida e volta) com permanência máxima de 90 dias;

3) comprovante de alojamento; *

4) seguro de saúde; *

5) comprovante de meios financeiros para manter-se durante a estada*

* Esta obrigatoriedade varia de País para País.

Fica a critério das autoridades fronteiriças de cada País a exigência do cumprimento destas formalidades. Aos estrangeiros que não cumprem os requisitos acima referidos, pode ser recusada/dificultada a entrada no espaço Schengen.

Embora as regras base acima mencionadas sejam comuns a todos os Países integrantes do espaço Schengen, as regras de obrigatoriedade do seguro de saúde e do comprovante de meios financeiros varia de País para País.

ALEMANHA

Seguro de saúde: Caso seja solicitado pelas autoridades fronteiriças da Alemanha, os cidadãos brasileiros deverão apresentar um seguro de saúde com cobertura mínima de 30,000 euros. Este seguro pode ser adquirido no Brasil ou nos aeroportos da Alemanha.

Comprovante de meios financeiros: Para entrar na Alemanha, o turista brasileiro tem que comprovar possuir 50 euros por dia (dinheiro, “Travelers cheques” ou cartões de crédito internacionalmente aceitos)


ESPANHA

Seguro de saúde: A Espanha não exige seguro de saúde. Caso o cidadão brasileiro seja beneficiário do INSS, não necessita de seguro de saúde para viajar a Espanha. Existe um acordo bilateral de assistência médica que assegura o sistema de saúde aos cidadãos de ambos os Países. No entanto, para usufruir deste benefício, o cidadão brasileiro deve dirigir-se a um escritório do INSS local e solicitar uma declaração a dizer que é beneficiário do INSS, indicando o período de permanencia em Espanha.

Comprovante de meios financeiros: Para entrar em Espanha, o cidadão brasileiro tem que comprovar possuir:

1) 300 Euros por cada entrada no País ( em dinheiro ou “travelers cheques”, mais

2) 50 Euros por dia de permanência (em dinheiro ou “travelers cheques”).


FRANÇA

Seguro de saúde: Os cidadãos brasileiros deverão apresentar um seguro de saúde com cobertura mínima de 30,000 Euros.

Comprovante de meios financeiros: Para entrar na França, o turista tem que comprovar possuir 50 Euros por dia (dinheiro, “travelers Cheques”, ou cartões de crédito internacionalmente aceitos). Este montante poderá descer para 35 Euros/dia, caso seja apresentado termo de responsabilidade (atestado de acolhimento) emitido por um cidadão francês ou por estrangeiro habilitado com título de residência.


ITÁLIA

Seguro de saúde: Não é obrigatório. Existe um acordo bilateral de assistência médica que assegura o sistema de saúde aos cidadãos de ambos os Países. No entanto, para usufruir deste benefício, o cidadão brasileiro deve dirigir-se a um escritório do INSS local e solicitar uma declaração a dizer que é beneficiário do INSS, indicando o período de permanencia em Itália.

Comprovante de meios financeiros: Para entrar em Itália, o cidadão brasileiro tem que comprovar possuir as seguintes quantias:

Duração Viagem Montante

De 1 a 5 dias Eur 269,60 (montante fixo)

De 6 a 10 dias Eur 44,93 por dia

De 11 a 20 dias Eur 51,64 (montante fixo) mais Eur 36,67 por dia

Mais de 20 dias Eur 206,58 (montante fixo) mais Eur 27,89 por dia


PORTUGAL

Seguro de Saúde: Não existe limite de cobertura pré-definido para o valor do seguro de saúde a apresentar em Portugal. Os cidadãos brasileiros ou dependentes se inscritos no INSS não necessitam de seguro de saúde . Um acordo bilateral assegura o antendimento na rede pública em Portugal. Para usufruir deste benefício, antes da viagem, os interessados deverão procurar o Ministério da Saúde Brasileiro (em São Paulo é na Av. Nove de Julho 611 – 2 andar – Cj 202 – Tel: (11) 3241 2197) munidos de cópias e originais dos seguintes documentos:

Todas as pessoas deverão apresentar:

1) Passaporte (3 páginas iniciais)

2) RG Identidade

3) Passagem Aérea

4) Comprovante de residencia

Mais comprovante de comprovante inscrição INSS (ex. Empregados deverão apresentar carteira de trabalho e nº de inscrição no INSS, Autônomos deverão apresentar as três últimas contribuições do Carnet, Aposentados deverão apresentar o último extrato do INSS, etc).

Em Portugal, caso necessite, o turista deverá providenciar a carteirinha para atendimento em qualquer serviço público de saúde no Depto. de Relações Internacionais e Segurança Social (Em Lisboa fica situado na Rua Junqueira, 112) levando a documentação emitida no Brasil , o passaporte e duas fotos 3x4

Comprovante de meios financeiros: Para entrar em Portugal, o cidadão brasileiro tem que comprovar possuir

1) 75 Euros por cada entrada no país, e mais

2) 40 Euros por dia de permanência.


Nota – Estes montantes (em dinheiro, “Travelers cheques” ou cartões de crédito internacionalmente aceitos) poderão ser dispensados, caso seja apresentado termo de responsabilidade emitido por um cidadão português ou por estrangeiro habilitado com título de residência, autorização de permanência, visto de trabalho, estudo, estada temporária, válidos, que garanta a alimentação e o alojamento do interessado durante a sua estada, sem prejuízo da possibilidade de recurso a outros meios de prova.

Demais Países Europeus

Para todos os outros Países europeus que não integram o espaço Schengen, o turista deverá consultar os consulados de cada País para confirmar quais as formalidades de entrada.

Nota Final: Esta informação foi fornecida por cada uma das Embaixadas ou Consulados Gerais em São Paulo em Fevereiro de 2005. Em caso de dúvida, os agentes de viagem e passageiros devem consultar as Embaixadas ou os Consulados Gerais locais de cada País antes de viajar.

Antes de ir, programe-se.

1- Dê uma olhada no seu passaporte. Se a validade dele for inferior a seis meses, tire logo outro. Senão, é dor de cabeça na certa nas alfândegas.

2- A Europa básica (França, Itália, Espanha, Inglaterra, etc)Não exige mais vistos. A não ser que você queira esticar até o leste, como Praga e Budapeste.

3- É bom ter cópias de passagens e passaporte (aliás, deixe o seu no hotel e ande só com a cópia, porque serve). Assim, se perder ou sumir, fica fácil reclamar.

4- Dois sites para viajantes com pouca grana se esbaldarem em pesquisas antes de viajar: www.backpackeurope.com e www.uol.com.br/oviajante.

5- Há um site que lança pacotes em oferta, a torto e a direito, para a Europa. 

6- A Europa é vastíssima e a experiência dos outros conta muito. Ouça bem as dicas e conselhos de quem já foi a selecione o que lhe interessa.

7- Se ainda estuda, tire um carteira internacional, ( www.stb.com.br). Ela garante descontos em quase tudo. Custa R$ 25 e é uma boa.

8- Faça um seguro médico de viagem, porque o atendimento em solo europeu custa uma fábula. É uma despesa que pode virar uma brutal economia – 

9- Registre na Receita Federal todo e qualquer equipamento eletrônico antes de sair do Brasil. Serão, na volta, poderão achar que você os comprou lá fora.

Transportes? Faça assim

10- Europa por até 40% menos? Aproveite as tarifas promocionais das companhias aéreas agora, de setembro a novembro, e no ano que vem, de março a junho.

11- Ao entrar num trem, cheque a classe e o destino do vagão. Para não levar multa nem ri parar em outro lugar, já que os trens vão se desmembrando pelo caminho.

12- Tap (em Lisboa) a Air France (em Paris) têm serviço de ônibus do aeroporto para o centro. Nas outras cidades, há ônibus especiais, que fazem o circuito dos hotéis.

13- Os passes de trens de primeira classe podem ser até 60% mais caros que os de segunda. Vá de segunda, que tem conforto e boa economia.

14- O carro alugado dá despesas mais altas na França do que na Espanha. Principalmente com os pedágios, que são mais caros.

15- Em viagens curtas, vá de trem. Eles chegam nos centros, enquanto os aviões exigem traslado até o aeroporto e antecedência no check-in.

16- Entre alguns países, como na Escandinávia, existem travessias marítimas de ferry-boat. São sempre bem mais baratas que as de avião.

17- Se for muito de carro na Europa, prefira um modelo a diesel. O combustível sai mais em conta e, com isso, a viagem renderá mais para o bolso.

18- Os passes ferroviários comprados aqui no Brasil também garantem descontos em hotéis. 

19- Cheque, assim que desembarcar, qual ônibus dá uma volta completa pela cidade. Ás vezes, o próprio transporte coletivo local já vale um city tour.

20- A travessia do trem Eurostar, entre Londres e Paris, dura apenas três horas e passa até por baixo d´água. Mas custa cerca de U$$ 120, na segunda classe, só de ida. Avião sai mais barato.

21- Os países são próximos, mas nem tanto. De Veneza a Paris são 19 horas de trem. Neste caso, melhor pegar uma cabine coletiva do que uma poltrona.

22- Na maioria das cidades, os ônibus não têm cobrador. Você compra o bilhete antes e, ao embarcar, deve validá-lo numa maquininha. Senão, dá multa. E paga na hora.

23- Amsterdã, para nós brasileiros, é um dos portões de entrada mais em conta. Um bilhete para lá na alta custa uns U$$ 900; na baixa, U$$ 700.

24- Se estiver com mais duas ou três pessoas, alugar um carro e sair dirigindo pode ser uma boa. E sai mais em conta! Mas sozinho u em casal, fique com o trem.

25- Curte vento no rosto? Então alugue uma bicicleta ou uma moto. Além de sair bem barato que certos passes de transportes coletivos, estacionar é fácil.

26- Toda grande capital européia tem um city tour mais barato, vendido no próprio loca. Em geral, são ônibus onde você vai subindo ou descendo onde quiser. E custam cerca de Î 15.

27- A locação mais em conta é o sistema de leasing. Você fica ``dono`` de um carro por uns 15 dias e depois ``revende`` na própria empresa. Na França, é comum e barato.

28- Ar, terra, mar. Qualquer seja o meio de transporte que imaginar na Europa, seu grande oriente será o site www.routesinternational.com.

29- Para viagens mais longas, compre passes ferroviários, ainda no Brasil. São carros, mas otimizam a viagem. 

30- Quando alugar um carro, devolva-o com o tanque cheio. A locadora cobra muito caro pelo litro de combustível. Programe-se para não pagar á toa.

31- Vai alugar carro? Então entre no site www.shellgeostar.com, que monta rotas rodoviárias européias com riqueza de detalhes. E ensina (quase) todos o caminhos.

32- Não gaste dinheiro tirando habilitação internacional para dirigir na Europa. Sua carteira daqui vale lá exceções, como a Rússia, por exemplo.

33- Preste atenção ás sinalizações. As autoridades européias têm olhos de lince. E qualquer multa terá de ser para na hora.

34- Não é só de trem que se viaja por vários países com um único passe. Há também, os passes de ônibus, que custam entre U$$ 140 e U$$ 250, 

35- Trechos internos de avião podem sair bem mais baratos que de trem, se você embuti-los num único bilhete, já partir do Brasil.

36- Viajar de avião dentro da Europa é cômodo para longas distâncias. Mas lembre-se que as estações de trem são muito mais centrais que os aeroportos.

Durma bem, obrigado!


37- Os albergues têm sempre as camas mais baratas. Na Europa, as diárias custam, em média, Î 15. Para se associar, pague R$27 de taxa do Brasil (www.alberguesp.com.br).

38- Albergues são da juventude só no nome. Gente de qualquer idade pode reserva um quarto, desde que associado. E alguns têm até suítes para casal.

39- No hotel (caso precise) dê uma choradinha. Peça ``late check out``, que quer dizer deixar quarto mais tarde. Ao invés de sair meio-dia, saia ás 14 horas.

40- Se quiser uma cama bem econômica e legal na França vá direto aos hotéis Formule1. São baratinhos, sem frescuras e bem organizados.

41- Escolha um hotel próximo do centro ou da estação de trem. E faça valer uma dupla economia: no valor da diária e dispensando longos traslados.

42- Em Portugal, durma bem e economize nas pensões ou residenciais, que existem por toda Lisboa. Parecem as nossas pousadas. E custam só cerca de Î 45.

43- Hospedar-se numa casa de família pode sair tão barato quanto num albergue. Se a família for recomendada – e com pessoal – você será tratado como filho.

44- As camas mais econômicas da Espanha estão nos hospitais. Mas fique de olho na qualidade. Alguns são limpos e bons. Outros, precários e sujos.

45- Os bed & breakfast (ao pé da letra, ``cama & café da manhã``) são bem comuns na Inglaterra. Mas, cuidado: em Londres, eles não custam tão baratos assim.

46- Sim, é possível reservar um albergue antes de sair do Brasil. Mas, atenção: custará U$$10, por cada reserva.

47- Nos quartos de albergues, os lençóis, travesseiros e toalhas nem sempre estão na diária. Se precisar alugar, custam uns Î 5 cada.


48- Cuidado co diárias econômicas de pensões em cidades cheias de turistas. Quando se der conta, verá que reservou um quarto com banheiro no corredor.

Alô, alô, Brasil!

49- Se quiser falar com o Brasil, use os telefones públicos e chame o serviço a cobrar da Embratel. Sai mais em conta e não precisa nem de moeda.

50- Com Î 0,50 você já manda um cartão-postal da Europa. Quer uma dica legal? Se estiver no Vaticano, use o correio deles. Chega mais rápido!

51- Só fala português? Compre um guia turístico aqui mesmo. Domina mais idiomas? Deixe para compra-lo por lá, porque são melhores e mais baratos.

52- Afaste-se do telefone e do frigobar do quarto do hotel. Ainda não inventaram nada mais caro, seja em que cidade for.

53- Use a abuse da Internet no cyber-café. É infinitamente mais barato do que falar ao telefone. Na medida, na Europa, uma hora de uso custa menos de Î 2.

Bons garfos da economia

54- Restaurantes europeus têm uma seqüência de pratos, da entrada á sobremesa. Vá direto ao principal e peça um cafezinho. A conta será bem mais barata.

55- Em todas cidades da Europa, os restaurantes oferecem menus turísticos completos, principalmente no almoço. Por uns Î 12 come-se uma refeição completa.

56- Se você estiver em Paris e o café da manhã não for incluído na diária, tome-o na cafeteira da esquina. Acabará fazendo algo bem típico, por sinal.

57- Comida por quilo não é o forte da Europa, mas se encontra um bandejão simpático mergulhe de cabeça. Terá variedade e economia.

58- Todos trens têm lanchonetes e até restaurantes. Mas a variedade é pequena e os preços, altos. Faça como os europeus: leve o próprio sanduíche.

59- Os tira-gosto de cada país são típicos, deliciosos e dão uma bela aliviada no bolso. Abuse, portanto, das tapas na Espanha, das pizzas na Itália e dos crepes na França.

60- Dê uma folga ao bolso: entre num supermercado e monte o próprio lanche. Você descobrirá petiscos típicos bem baratos e gostosos.

Mexendo com a grana


61- Nada de manusear dinheiro na frente dos outros ou em lugares cheios, principalmente na Itália. Guarde-o numa minibolsa, que vai debaixo da roupa feito cinto.

62- Na França, guarde a palavra `détaxe``. Se comprar mais de Î 180 no mesmo dia e na mesma loja, poderá receber de volta os impostos embutidos na compra.

63- Uma garantia contra perdas e roubos são os cheques de viagem. Eles têm seguro embutido e você troca em qualquer banco ou casa de câmbio.

64- Compre travel money (0800-151818 ou 0800-551784). Ele tem valores determinados e você saca em caixas eletrônicos, num piscar de olhos.

65- Saia do Brasil já com euros e não mais dólares. Você não datará com taxas nas casas de câmbios. Mas tenha á mão sempre um cartão de crédito, até porque as taxas compensam.

66- No exterior, sempre vale a regra básica de U$$ 1 de gorjeta. Na Europa, use Î 1, mas não deixe mais de 15% nos táxis.

67- Tenha sempre troco á mão. Se no Brasil os cobradores de ônibus não trocam R$ 10 com facilidade, imagine lá. Notas miúdas são bem-vindas.

68- Você pode colocar seus valores em cofres de hotel. Mas. Passou disso, não ponha fé em qualquer serviço oferecido por pensões ou mesmo albergues. Use os armários com cadeados.

Indo ás compras


69- Você poderá gastar até U$$ 500 no free shop, quando voltar de viagem. Mas é bom saber que casal não junta cotas!

70- Mesmo que não esteja em um país árabe, pechinchar é importante. Nos países europeus, o preço final da mercadoria pode resultado de um bate-papo.

71- Seja um bom perguntador na hora das compras. Veja se a loja entrega o que comprou (de graça) no hotel e se é mais legal pagar com algum tipo de cartão de crédito. Para gastar menos, tudo é válido.

72- Fique de olho nas promoções e liquidações na Europa. Muitas galerias e loja de departamentos derrubam os preços mesmo.

73- Se gostar de algo, compre logo. Numa viagem pela Europa não é fácil dar marcha á ré. E poderá se arrepender depois.

74- Quer levar um souvenir de lembrança? Evite compra-los em frente ás atrações principais. São mais caros. Busque lojinhas que tenham a mesma mercadoria e peça desconto.

75- Várias cidades montam o mercado das pulgas, com roupas e objetos novos e usados. Descubra onde ele está e vá, sem falta. Eles têm coisas ótimas e baratas.

Fazendo os passeios


76- Toda grande capital européia tem um city tour mais barato, vendido no próprio local. Em geral, são ônibus onde você vai subindo ou descendo onde quiser. E custa cerca deÎ 15.

77- Andar a pé limites. A limites. A solução? Usar ônibus e metrô. Compre um passe múltiplo. Em Paris, a Carte Orange custa Î 13,25 e vale uma semana.

78- Não compre mapas. Você conseguirá muitos (e de graça!) em estações de trens, escritórios turísticos e balcões de aeroportos.

79- Existem quiosques que vendem ingressos para espetáculos, com descontos especiais. Se você comprar para assistir dia, pagará a metade do preço.

80- Para visitar museus e monumentos, compre logo um passe. Pagar um a um sai muito caro. E todas as cidades têm um passe desse tipo.

81- Tudo é bem mais barato na baixa temporada. Mas há a desvantagem de topar com monumentos em reforma ou horários reduzidos de visitação.

82- Se for primavera ou verão, os shows estação nas ruas e serão gratuitos. Mas, se realmente gosta de algum, não deixe de jogar uma moedinha. Î 0,50 estão bons.

83- Se encontrar uma máquina que dá informações, abuse. Elas ficam em hotéis, estações de trem, aeroportos... E dá até imprimir a informação selecionada.

84- Toda cidade tem uma publicação com a programação mensal de atrações, muitas gratuitas. Não deixe de consulta-la.

E outras coisas mais


85- Compre um pacote. Mas não o confunda com excursão. Ele garante preços excepcionais, principalmente nos hotéis.

86- Racionar a bagagem é prudente. Nem queira imaginar o peso que vira na sua consciência, se a mala não for prática e com muito mais que o necessário.

87- Na alta estação é difícil negociar o valor das diárias dos hotéis. Mas, se estiver viajando na baixa, barganhe. E deixe a vergonha de lado.

88- Ao se vestir, seja prático. A Europa sugere alta caminhada Se o tempo estiver bom, tênis, jeans e camiseta. Mas leve um casaco, para emergências.

89- Mala ou mochila? Melhor levar os dois: uma mala pequena (e com rodinhas!) para as roupas e uma mochila prática, para usar nos passeios.

90- Com alta temporada na Europa não se brinca. Reserve tudo antes: hotéis, assentos em trens, albergues, vôos. Lá, lotam mesmo.

91- Use e abuse dos guarda-volumes que existem em todas as estações. Eles permitem deixar a bagagem e passear a vontade, sem gastar com hotel.

92- Leve a menor bagagem possível. Pode-se até encontrar carregadores, mas o mais freqüente deles será mesmo você! Com muitas malas, fica-se dependente dos táxis, que custam caro.

93- Roupa suja? Lave você mesmo. Use as lavanderias self-service, que existem em todas as cidades.

94- Dividir despesas é palavra-chave na Europa. Use para passeios, refeições e até o vinho! Ache alguém para compartilhar a conta e os bons momentos.

95- Dentro de uma mesma cidade podem existir várias estações de trem. Como em Paris, por exemplo. Cuidado para não perder tempo e a própria viagem.

96- Leve um relógio com despertador, mesmo que seja de pulso. Nas viagens noturnas de trem, por exemplo, ele será utilíssimo para avisar quanto chegar á estação certa.

97- Uma economia bem-vinda é ultrapassar o limite de peso ao embarcar. São 20 quilos, mais cinco de bagagem de mão. Senão, é multa na certa.

98- Na Europa, muitos banheiros públicos cobram pelo uso. Com isso, fazer ``xixi`` em euros também vai entrar no seu orçamento.

99- Existem passes de trem válidos somente para um país. Compre-os se a sua viagem for para apenas um lugar.

100- Não fique com inveja, mas cidadãos europeus têm 50% de desconto nas atrações. Como estrangeiro, você terá descontos se tiver menos de 26 anos ou mais de 60.

101- Alguns países têm sites bem legais. Consulte: www.frenceguide.com; www.visitbitain.com; www.tourspain.es; www.discoveryitalia.com; e www.portugalinsite.pt.

Dos shows de tango ao bife de chorizo, selecionamos as melhores razões para você querer ir, ou voltar, à charmosa capital dos nossos hermanos.

Buenos Aires é uma cidade que sempre encanta. Tem ar cosmopolita, jeito de Europa, boa comida, ótimo vinho e uma vida noturna, tão interessantes quanto certas comprinhas na Calle Florida. Pode se visitada a todo o momento, não importa se é verão ou inverno. Os prazeres portenhos estão à espera 365 dias por ano. Difícil alguém voltar insatisfeito ou reclamando da terra de Evite Perón. Há muito o que ver- ou rever- na cidade: o calçadão de Puerto Madero, as coloridas viela do caminito, em La Boca, a feirinha de San Telmo, os jardins jardins da Ricoleta, os shows de tango...

E com o real a cada dia mais valorizado em relação ao peso, cada vez mais brasileiro estão cruzando a fronteira para curtir o país vizinho. Mas se o câmbio favorável para nosotros ainda for pouco para convencê-los a visitar a capital dos hermanos, selecionamos outros 49 argumentos para convencê-lo. Confira um por um.

1. Mais por menos – A Argentina está barata para o bolso dos brasileiros graças as real valorizado. Os preços no país vizinho até se equivalem com os do Brasil, mas com a diferença de que nossa moeda vale cerca de 80% mais (R$ 1 está valendo 1,80 peso na cotação de 15 de Fevereiro). A diária num hotel cinco estrelas como Sheraton custa o equivalente a R$ 280 para o casal. Dá para esbaldar de comer numa boa churrascaria pagando R$ 30 para duas pessoas ou atravessar a cidade de táxi por R$ 15.00

2. Cabe num final de semana – Buenos Aires é a maior prova de que fazer uma viagem internacional deixou de ser algo superplanejado, que demanda meses de economia e grandes preparativos. São apenas três horas de vôo de São Paulo ou Rio. Não precisa calcular fuso horário, pois é o mesmo daqui. Um final de semana prolongado dá tempo para ver, ou rever muita coisa. A Monark (www.monark.tur.br) oferece diversas opções de pacotes curtos de quatro dias (Três noites) de duração por preços a partir de R$ 1000 por pessoas, com hospedagem e passagem aéreas.


3. A cidade esbanja Charme – Buenos Aires se orgulha de ser a mais européia da América do sul.As avenidas largas e arborizadas as construções imponentes, as muitas praças, tudo faz lembrar o Velho Continente. Até os hábitos do portenho que gosta de freqüentar cafés, beber muito vinho e praticar esportes de elite como golfe, pólo e tênis. Com a vantagem de que Buenos Aires fica pertinho.


4. Passear no centro – Não há forma melhor de conhecer o centro histórico da capital argentina do que caminhando. As ruas são planas e tudo fica mais ou menos perto. Numa única tarde lá para circular pela Calle Flórida, o principal calçadão de compras da cidade; pela Plaza de Mayo, onde fica a Casa Rosada, sede do governo federal; pela Avenida de Mayo, endereço célebre do Café Tortoni; endereço do célebre Café Tortoni; e pela Avenida 9 de Julio que os argentinos adoram repetir que é a mais larga do mundo. Pode ser. São 170 passos para atravessá-la e o farol sempre abre no meio do caminho.


5. Ver o Obelisco – É o cartão postal mais conhecido da cidade e fica na avenida 9 de Julio.
O monumento tem 68 metros de altura e foi construído em 1936 em homenagem ao quarto centenário de Buenos Aires.


6. Puerto Madero – O bairro foi todo reformado em 1989 para transformar o aspecto portuário e decadente do lugar. Virou um centro comercial, residencial e gastronômico. Às margens de quatro diques e ao longo de um calçadão há uma infinidade de bons restaurantes, o churrasco é a opção principal na maioria deles. Há até um cassino instalado em um navio permanentemente ancorado, em um navio permanentemente ancorado, uma artimanha para burlar a lei argentina que proíbe o jogo no país.


7. Metrô Centenário - Os táxis em Buenos Aires são tão baratos que nem vale a pena andar de ônibus ou metrô, embora tanto num caso quanto no outro a experiência não deixe de ser interessante. Algumas linhas do metrô, ou “Subte”, como eles chamam, são de 1913. Há até trens de madeira, que parecem ser daquela época. E os ônibus, ou “coletivos” trem modernas máquinas no lugar do cobrador e o bilhete dá direito a um jornalzinho com as noticias do dia.


8. Teatros na Corrintes – essa avenida, no centro, é famosa por ser a via principal dos teatros da cidade. Assistir a uma peça, se você tiver domínio espanhol, pode ser uma ótima maneira de começar noite.


9. A Galeria Bond Street – É um point de alternativos, onde convivem punks, góticos, skatistas e tatuadores. O lugar tem lojas bastante originais, como a Rayo Rojo, de revistas em quadrinhos e a Unmo, especializada em jeans. Fica na Avenida Santa Fé, 1.670.


10. Livraria El Ateneo – Os argentinos brincam que só em Buenos Aires tem mais livrarias do que no Brasil inteiro. Talvez... Mas de uma coisa eles tem razão. A livraria El Ateneo é a mais bela de todas. Foi montada dentro de um antigo teatro. E tudo foi muito bem preservado, inclusive o palco que virou um agradável café. Vá, nem que seja só para olhar. Também na Avenida Santa Fé, 1.860.


11. Visita guiada ao Teatro Colón – O palco das principais apresentações de teatro e ópera da Argentina, inaugurado em 1980, é o maior monumento cultural de Buenos Aires. A arquitetura interna é impressionante, em estilo barroco francês, com sete andares e camarotes. Há visitas guiadas de hora em hora durante toda semana. Mas nada se compara a assistir a um espetáculo lá dentro. A temporada de espetáculos no Colón, que fica na Avenida Libertad, 621, vai de Março a Dezembro.


12. A Praça da Recoleta – A Recoleta é um dos bairros mais agradáveis de Buenos Aires Cresceu Rodeada de luxo e ainda preserva alguns palácios construídos em estilo francês, do final do século 19. Em sua praça principal, aos sábados e domingos grupos de jovens se esparramam pelo gramado, dividindo um Mate ou uma garrafa de vinho, enquanto os turistas caminham diante da feirinha de artesanato, outro passeio clássico dos finais de semanas portenhos. Para beber ou comer algo, ocupe uma mesa do La Biela, agradável café com mesas na calçada bem de frente à praça.


13. Visitar o túmulo de Evita Perón – Parece estranho e mórbido, mas um dos principais pontos turísticos de Buenos Aires é o cemitério da Recoleta. Quase todo mundo vai.
O local é tão popular que existe até visitas guiadas por suas alamedas. Inaugurado em 1822, lá estão o túmulo dos principais nomes da história Argentina como o ex-presidente da república, heróis de guerra e artistas. O mais visitado é o de Evita Perón. Logo na entrada o visitante ganha um mapa com indicação do túmulo de 80 personalidades.


14. Cafés Clássicos – Nada representa melhor a alma portenha do que o hábito de freqüentar os cafés. No centro, há um a cada esquina, com charmosas fachadas de vidro e madeira. O mais famoso da cidade é o café Tortoni (Avenida de Mayo, 825), Aberto desde 1858. Nem pense em não ir sentar-se para um longo café, sem hora para acabar, é o passatempo típico e mais econômico de Buenos Aires.
Outros Clássicos:
Café Plaza Dorrego (Defesensa, 1.098, San Telmo); Lãs violetas ( Rivadavia, 3899, Almagro); e Bar Sur ( Estados Unidos, 299, San Telmo).


15. Museu Nacional de Belas Artes - Com mais de 10 mil obras de artistas argentinos e estrangeiros, museu é uma verdadeira aula de história e arte. Tem grande quantidade de obras impressionistas, além de quadros de pintores clássicos como Goya, El Greco, Ticiano e Picasso. Fica na avenida del Libertador, Recoleta


16. Malba – O Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires abriga dos principais pintores e escultores latino americanos. Estão lá quadros de Botero, Fridha Kalo e até o famoso Abapuru, da brasileira Tarsila do Amaral. Se quiser se aprofundar, o museu tem uma intensa atividade cultural com a exibição de filmes, documentários e conferências. Fica na Avenida Figueroa Alcorta, 3.415, Palermo.


17. Aprender a Dançar Tango – Quem quiser arriscar passo de tango, pode tomar aulas de duas horas, em todos os níveis, no estúdio La Esquina ( Sarmiento, 722, 4°andar), com professores de primeiro nível e bem pacientes.A Confeitaria Ideal (Suipacha, 384, Centro) oferece aulas a tarde para turistas que não sabem nada de tango. Para quem pensa em algo mais avançado, a Mora Godoy Tango Escuela (moragodoy.com) pode ser a opção.


18. Show de tango – Quase impossível passar por Buenos Aires sem ter contato com o tango. As apresentações acontecem no meio da rua mesmo, no Calminito ou na feirinha de domingo, em san telmo. Mas a melhor forma de vivenciar o ritmo de Carlos Gardel é ir a uma das muitas casas de show espalhadas pela cidade. A mais conhecida é o El Viejo Almacén (Avenida Independência, 300), em San Telmo. Já o El Querandi (Peru, 302, Montserrat) tem ambiente requintado, enquanto o Bar Sur (Estados Unidos, 299, em San Telmo), é mais intimista e tido como um típico representante da alma do tango.


19. Milonga, o tango da vida real – As milongas são bares onde o os argentinos dançam tango. Sem duvida, uma forma bem mais pitoresca de curtir uma balada sem ir a uma discoteca. Os milongueros podem ser vistos em La Viruta (Armênia, 1.366, Palermo Viejo) ou no Nuevo Salón La Argentina (bartolomé Mitre, 1759).


20, Domingo em San Telmo – É quando rola a feira de antiguidades na Plaza Dorrego, em San Telmo. Nesse dia, barraquinhas de objetos antigos, artistas e muitos turistas lotam as ruas e transformam esse bairro histórico numa espécie de mercado livre. Os barzinhos e os restaurantes em torno da praça lotam e suas ruas ficam bastante animadas com orquestras e dançarinos de tango. A feira só termina no final da tarde.Assim, há tempo de sobra para caminhar e conhecer o bairro que já foi o principal da elite portenha, até que uma epidemia de febre amarela fez as famílias mais ricas mudarem para a Recoleta. Algumas mansões viraram cortiços e outras, galerias de arte ou casa de tango. Para almoçar, vá ao Pappa Deus. (Pasaje Bethlem, 423) ou As taberna Baska (Chile, 980).


21. Comprar antiguidades – San Telmo Concentra quase todas as lojas de antiguidades de Buenos Aires. Para evitar os preços altos da feirinha da Plaza Dorrego, vá a Calle Defensa nessa rua. Dois bons endereços de compras:
Pasaje de la Defensa (no número 1.179) e o mercado de San telmo (no número 961).

22. Giro por La Boca – É o bairro mais singular de Buenos Aires. Construída por estivadores em volta do que foi o primeiro porto da cidade, La Boca tem como marca as casas coloridas do Caminito, uma pequena rua que ficou famosa por causa de um tango e que, hoje, é ponto turístico. Há várias lojas de artesanato, exposição de quadros e casais dançando tango na rua. Algumas quadras dali fica o La Bombonera, do Boca Juniors, aberto a visitações. Para comer vá ao La Perla (Dom Pedro de Mendoza , 1.899), um curioso restaurante café com paredes forradas com pinturas de artistas-clientes.


23. Ir um jogo do Boca ou do River – Os Argentinos são tão
( ou talvez mais) apaixonados por futebol quantos os brasileiros. Eles adoram conversar sobre o assunto e até cultuam uma sincera admiração por craques da seleção canarinho. O único problema é que eles acreditam que Maradona foi melhor do que o Pelé. Assistir uma partida nos lendários estádios de La Bombonera, o
“ alçapão” do Boca Juniors, ou no Monumental de Nunez, do River Plate, é uma experiência e tanto para quem gosta de Futebol. A agência Gofootball organiza saídas com turistas para ver os jogos, com traslados de microônibus desde o hotel e acompanhamento de guia.


24. Bar Locos por el Fútbol – Os homens adoram, as mulheres (nem todas, é verdade) torcem o nariz para esse imenso bar temático com telões que exibem jogos de futebol 24 horas.


Para quem gosta de futebol, vale a visita. Fica na esquina da Vicente com Uriburu, Recoleta.
25. Os bosques de Palermo – Faça como portenhos e passe uma manhã andando pelos parques de Palermo, o bairro mais verde de Buenos Aires. Lá estão o bem cuidado Jardim Botânico da cidade; o Jardim Japonês, com cascatas artificiais e pontezinhas sobre os lagos cheios de carpas; o zôo municipal, que é bem interessante é o Planetário Galileu Galieli. Os dois últimos são programas ótimos para fazer com crianças ( ou para se sentir criança, o que pode ser legal).


26. Caminhos em Palermo Viejo – O bairro se tornou o principal pólo da moda e da decoração da cidade com muitas lojas especializadas. Um bom passeio começa na Plaza Cortázar e segue até a Plaza Palermo Viejo, passando pela Calle Honduras você pode visitar a Miles, a mais eclética rede de lojas de CDs e DVDs de Buenos Aires e com preços bem convidativos.


27. Os Bares de Palermo Viejo – A noite fica agitada nos bares ao redor da praça Cortazar. As mesas mais disputadas são as do Utopia, um pouco escondida entre as copas das árvores. Vale também: Olsen (Gorriti, 5.870), que tem mais de 60 tipos e bebidas, o Diamante (Malabia, 1.688) ou La Central (Costa Rica, 5.644).


28. Hipódromo – inaugurado em 1876, com bela arquitetura em estilo francês, Hipódromo Argentino de Palermo é o maior templo das corridas de cavalos do país. Conta com uma pista de 2.400 metros, considerada uma das melhores do mundo mais informações: palermo.com. ar.


29. No Ritmo dos DJs – Atualmente, Buenos Aires é o mais destino clubber da América Latina. Os principais clubes estão localizados entre a região central e a Costenera Norte, nas margens do rio. A balada, porém, começa tarde da noite, só depois das 2 h.Os mais famosos, como o Mint (Avenida Costanera Rafael Obligado y Sarmiento; mint-argentina.com.ar) e Big one (Adolfo Alsina 940, Monserrat; palaciobuenosaires.com) fervem até quase a hora do almoço do dia seguinte. Já no Caix (Avenida Rafael Obligado y Salguero, Costanera Norte), o movimento começa as 9 h e segue até que os DJs tirem seu headphone,lá pelas 15 h.


30. Shopping de decoração – Quer levar alguma coisa para incrementar a casa? O Shopping Buenos Aires Design, na Recoleta. Tem 2 andares com mais 60 lojas abarrotadas de moveis e de varias peças de decoração de vários estilos. Os preços são atraentes. Fica na Avenida Pueyrredón, 2.501.


31. Estilistas em bares – Na Plaza Serrano, em Palermo Soho, jovens estilistas portenhos vendem suas criações dentro dos bares e restaurantes, como Macondo. São roupas de cortes modernos, exclusivas e com preços mais baratos do que nas lojas.


32. Compras na Calle Florida – Não percas a chance comprar DVDs e CDs principalmente importados, roupas e produtos de couro (sapatos e bolsas) na cidade. As ruas mais conhecidas para fazer compra estão no calçadão da Calle Florida e na Avenida santa fé. Há desde lojas de Grifes internacionais a outras com preços mais em conta.


33. Galerias Pacífico – o charmoso Shopping que funciona num prédio histórico construído em 1889, É a principal atração da Calle Florida, (735, esquina com a Córdoba), bem no centro. Tem várias lojas de grifes internacionais e abriga também o centro cultural Jorge Luís Borges, em homenagem ao maior escritor argentino de todos os tempos. Se você quiser nem precisa comprar nada. Só a beleza do prédio, com afrescos no teto e abóbadas de vidro, compensa a visita. O único concorrente à altura das galerias é o pátio Bullrich (Avenida Del Libertador, 740, Recoleta), considerado o mais sofisticado da cidade. Mesmo assim, oferece oportunidades de compras sem esfolar o bolso, como na Casa Lopez, com 40 anos de tradição, especializada em produtos de couro com acabamento bem superior à média.


34. Os Outlets da Avenida Córdoba – Nesta Avenida de Palermo Viejo, a partir do número 4.000, estão outlets da Nike, Adidas, Levis e de outras marcas famosas. Nem o mais muquirana dos turistas consegue sair deles sem encher as sacolas.


35. Passeio pela Alvear – É a Avenida mais chique da Recoleta, com palacetes remanescentes dos áureos tempos da aristocracia portenha do século 19, além das muitas lojas de grife como Hermes (1.981), Zegna (1.920), Versace (1.901), Pólo Ralph Lauren (1.780), Louis Vuitton (1.750) e Kenzo (1.551).


36. Comprar bons vinhos – Em qualquer supermercado há uma boa oferta de vinhos com preços baixos. Para algo mais selecionado, porém, vá a uma das lojas da rede Wirnery espalhadas pela cidade. Os melhores vinhos argentinos são de uva malbec, produzido em mendoza. Vale investir em garrafas que tragam o rotulo de bodegas como Catena, Zapata, Famiglia Zuccardi, Luigi Bosca, Salentein, ruttini e Doña Paula. Em Puerto Madero, há uma loja Winery na Juan Manso, 835.


37. Comer uma boa carne – Esse é um dos grandes prazeres de Buenos Aires. A carne argentina é macia e deliciosa, Não seria exagero algum viajar para lá só para comer um bife de chorizo ou um assado de tira. E sem gastar fortunas por isso. Mesmo no badalado Cabanas Las Lilás, em Porto Madero um casal Paga muito mais de 100 pesos (Cerca de R$ 70) pela refeição. Outra opção com preço mais em conta – e igualmente de boa qualidade – é o Siga La Vaca, também em Puerto Madero, uma espécie de rodízio que o cliente se serve diretamente na churrasqueira. O valor da entrada, carnes sobremesa não passa de 40 pesos (R$25) por pessoa. Mas nem precisa rodar muito para encontrar churrascarias ainda mais econômicas em vários pontos da cidade, com cardápio do dia a partir de 12 pesos (R$ 7).


38. Degustar um bom vinho – Quem procura um Lugar com uma boa carta de vinhos para degustação vai gostar muito do Casa Cruz. No ambiente elegante do restaurante, chama a atenção a imponente estante do chão ao teto que serve de vitrine para garrafas das melhores vinícolas argentinas. Difícil será escolher entre tantas boas opções, mas um sommelier está ali para isso.
Fica na Uriarte, 1.658, Palermo.


39. As massas italianas – Buenos Aires tem a terceira maior colônia italiana do mundo e isso se traduz em massas tão boas quanto às carnes, para alívio dos vegetarianos. Anote aí alguns endereços: Broccolino (Esmeralda, 776, Retiro),
La Stampa (Migueletes, 880, 1° Piso, La Imprenta), La Patrolaccia (Avenida Alicia moreau de Justo, 1.052, Puerto Madero; na Riobama, 1.046, Recoleta) e o filo (San Martín, 975, Retiro).


40. As empanadas do san Juanito – Os portenhos adoram e compram aos montes. Faça como eles. Fica na Calle Libertad, 1.515, Recoleta.


41. O alfajor havanna – os parentes pedem, os amigos exigem. E brasileiro retorna da Argentina carregado de sacolas cheias de caixas do famoso alfajor Havanna. Virou uma tradição. Não à toa, a guloseima e ótima e baratíssima. Tudo Bem que em São Paulo (SP) já existem várias lojas e quiosques Havanna SOS shoppings, mas o preço é o dobro de Buenos Aires.


42. Sorvete – O sorvete está para a Argentina assim como o chocolate está para a Suíça. As sorveterias da rede Freddo e Persicco, que estão por toda parte da cidade, tornaram-se até redutos de jovens e moderninhos em finais de noite. O motivo deve ser a qualidade do sorvete, realmente delicioso, especialmente o de doce de leite. Esqueça o regime e não deixe de provar.


43. Chá da tarde do Hotel Alvear – O Alvear Palace é um luxuoso hotel palácio com 200 quartos que funciona desde 1932 na Recoleta. Em seu restaurante , o L´Orangerie, é servido, a partir das 17h, um famoso chá da tarde, com direitos a garçons de luvas brancas, pratarias e quitutes preparados artesanalmente na cozinha do hotel. Fica na Avenida Alvear, 1.891.


44. Hospedar-se no Hotel Faena – Continas vermelhas, portas de até dez metros de altura, paredes de vidro, restaurantes decorados com cabeças de unicórnio... O badalado hotel projetado pele designer Philippe Stark, foi inaugurado em 2006 no bairro de Puerto Madero e mantém-se como a grande sensação entre as novas hospedagens de Buenos Aires. Diárias a partir de UU$ 510. Para mais informações, acesse monark. tur.br.


45. Feira de Mataderos – pouca gente conhece o bairro de Mataderos, extremo oeste de Buenos Aires. Afinal é longe e em uma região pouco atraente...Mas existe um motivo para ir até lá: a Feira de Matadeiros, que ocorre aos domingos. O evento é um resgate à cultura dos gaúchos portenhos, com, inclusive, gente vestida de bombachas e chimarrão na mão. Bandas folclóricas se apresentam em um pequeno palco e o publico dança a chacarera. É um bom lugar para comprar artesanato argentino por preços bem mais em conta.


46. Zôo bem diferente – Temaikén, no município vizinho de Escobar, a 50 km de Buenos Aires, é um programa ideal para quem viaja com as crianças. Destaque para o aquário com passagem de teto transparente embaixo de água de forma que grandes tubarões e arraias passam deslizando acima da cabeça do visitantes.


47. Jogar golfe – A Argentina tem uma longa tradição no golfe. Foi o primeiro pais da América Latina a praticar o esporte, introduzido no pais no final do século 19. Só em Bueno Aires e arredores existem cerca de dez campos de golfe de alto nível. É o caso do Jockey Club (jockeyclub.com.ar), em San Isidro contruido em 1920 e palco de grandes circuitos profissionais.


48. Pegar o trem para El Tigre – Um Passeio bacana é embarcar no Trem de La Costa até a cidade vizinha de El Tigre, na Grande Buenos Aires. No caminho, pela janela do vagão Já em El Tigre, parte barcos que fazem cruzeiros pelo labirinto de ilhas do delta Rio Tigre.


49. Ver um jogo de Rúgbi – O Rúgbi é quase tão popular quanto o futebol entre os argentinos. Que estão entre os melhores do mundo no esporte. Para assistir a um jogo do Club Atlético San Isidro (casi.org. Ar) ou do San Isidro Club, os clubes locais, veja a programação dos campeonatos nos sites.


50. O barco para Montevidéu – Quem vai a Buenos Aires pode aproveitar para conhecer também Montevidéu. A capital do Uruguai fica na outra margem do Rio da Prata, que, de tão largo até parece mar. A travessia leva 2h30 nos barcos catamarãs da empresa Buquebus, que saem todos os dias. Preços a partir de US$ 179 por pessoa , ida e volta.

1. O que fazer antes de viajar

Declarar os bens de fabricação estrangeira que integrem sua bagagem, junto à Alfândega, no local de saída do País, utilizando a Declaração de Saída Temporária - DST, para assegurar o retorno desses bens ao Brasil sem pagamento de impostos.
Adotar o mesmo procedimento quando estiver levando consigo bens estrangeiros para serem consertados ou trocados por outro, no exterior, em razão de garantia.
Declarar também os valores que estiver portando, em espécie ou cheques de viagem, quando em montante superior a dez mil reais ou o equivalente em outra moeda, utilizando a Declaração de Porte de Valores - DPV.
Apresentar, na ocasião, o comprovante da aquisição regular dos recursos em estabelecimento autorizado, pelo Banco Central, a operar com câmbio.

2. O que o viajante pode trazer do exterior sem o pagamento de impostos

A bagagem que portar consigo, identificada pelo ticket de bagagem fornecido pelo transportador no momento do embarque e que se constitua de:
- Roupas e outros artigos de vestuário, artigos de higiene, beleza ou maquiagem e calçados, para uso próprio, em quantidade e qualidade compatíveis com a duração e a finalidade da permanência no exterior.

- Livros, folhetos e periódicos em papel.

- Outros bens cujo valor global não exceda a cota de isenção, que é de quinhentos dólares dos Estados Unidos da América (viagem aérea ou marítima) ou de cento e cinqüenta dólares dos Estados Unidos da América (viagem terrestre, fluvial ou lacustre), ou o equivalente em outra moeda.

- Os bens pessoais, domésticos ou profissionais usados, quando, comprovadamente, tiver permanecido no exterior por período superior a um ano.

Observação:

A bagagem despachada pelo correio ou como carga, ainda que no mesmo veículo em que viajou, está sujeita ao pagamento de impostos e não tem direito à cota de isenção. Somente está dispensada do pagamento de impostos quando for composta exclusivamente por roupas, objetos pessoais usados, livros, folhetos e periódicos.

3. Compras em Loja Franca (DUTY FREE SHOP) 

Não é exigido o pagamento de impostos no caso de bens adquiridos em loja franca (duty free shop), quando, cumulativamente:
- Seu valor total for de até quinhentos dólares dos Estados Unidos da América.
- Forem adquiridos em loja do aeroporto onde a bagagem será examinada pela Alfândega brasileira, no desembarque.
- Estiverem limitados às quantidades especificadas, no caso dos seguintes bens:

- 24 unidades de bebidas alcoólicas, observado o quantitativo máximo de 12 unidades por tipo de bebida.
- 20 maços de cigarros de fabricação estrangeira.
- 25 unidades de charutos ou cigarilhas.
- 250g de fumo preparado para cachimbo.
- 10 unidades de artigos de toucador.
- 3 unidades de relógios, brinquedos, jogos ou instrumentos elétricos ou eletrônicos.

Observação:

Os bens comprados em lojas francas no exterior ou em outro aeroporto no Brasil que não seja aquele onde a bagagem será examinada pela Alfândega, não estão dispensados do pagamento dos impostos.

4. Tributação

O valor excedente à cota de isenção estará sujeito ao pagamento do Imposto de Importação, calculado à alíquota de 50%.
O valor do bem será o constante da fatura ou da nota de compra. No caso de falta ou inexatidão destes documentos, o valor da base de cálculo do imposto será estabelecido pela autoridade aduaneira.

5. Bens que não podem ser trazidos como bagagem 

Objetos destinados a revenda ou a uso industrial.
Automóveis, motocicletas, motonetas, bicicletas com motor, traillers e demais veículos automotores terrestres.
Aeronaves.
Embarcações de todo tipo, motos aquáticas e similares e motores para embarcações.

6. Pagamentos

O pagamento do imposto precede a liberação dos bens e será feito por meio do Documento de Arrecadação de Receitas Federais - DARF, em qualquer agência bancária, inclusive em caixa eletrônico, quando disponível este serviço.
Nos locais onde a rede bancária não oferecer condições de pagamento no momento do desembarque, os bens sujeitos à tributação serão retidos pela Alfândega, mediante o preenchimento e entrega, ao viajante, do Termo de Retenção e Guarda dos Bens, com informações referentes ao viajante e aos bens retidos.
A liberação dos bens será efetuada após a apresentação, pelo viajante, do Termo de Retenção e do comprovante do pagamento dos impostos.

7. O que é proibido trazer do exterior

Cigarros e bebidas fabricados no Brasil, destinados a venda exclusivamente no exterior.
Bebidas alcoólicas, fumo, cigarros e semelhantes, quando trazidos por viajante menor de dezoito anos.
Substâncias entorpecentes ou drogas.
Bens ocultos com o intuito de burlar a fiscalização.

Observação:
A esses bens aplica-se a penalidade de perdimento. Portanto, serão apreendidos pela Alfândega, e o viajante ficará sujeito a representação fiscal para fins penais.
Importante

O viajante somente poderá utilizar a cota de isenção uma vez a cada 30 dias.
O direito à cota de isenção é pessoal e intransferível, não sendo admitida soma ou transferência de cotas entre os viajantes, ainda que membros da mesma família.
Observação:

As instruções deste folheto não se aplicam às bagagens de militares (transportadas em veículo militar) e de tripulantes, quando em viagem de serviço, e à bagagem de diplomatas estrangeiros e semelhantes.

8. Apresentação da bagagem acompanhada 

Todo viajante procedente do exterior, no momento de sua entrada no Brasil, deverá apresentar a Declaração de Bagagem Acompanhada – DBA.
A declaração é individual.
O formulário será fornecido pelo transportador ou agência de viagem ou obtido nas Alfândegas.
Bens adquiridos em loja franca do local onde a bagagem será examinada pela Alfândega não devem ser relacionados na DBA.

9. Bens a declarar

O viajante deverá dirigir-se ao local indicado para " Bens a Declarar " quando estiver trazendo:
- Bens adquiridos no exterior cujo valor total exceda a cota de isenção, para fins de cálculo do imposto devido.

- Bens descritos, neste folheto, sob o título BENS QUE NÃO PODEM SER TRAZIDOS COMO BAGAGEM, para os quais aplicam-se normas próprias para a liberação.

- Valores, em espécie ou em cheques de viagem, em montante superior a dez mil reais ou o equivalente em outra moeda, para preenchimento do formulário próprio.

- Animais, plantas, sementes, alimentos, medicamentos, armas e munições, que serão retidos e somente liberados após manifestação do órgão competente.

- Bens que devam permanecer temporariamente no Brasil, cujo valor unitário seja superior a três mil reais ou o equivalente em outra moeda, no caso de estrangeiro.

- Bens, cuja entrada regular no Brasil o viajante deseje comprovar.


Observação:

É exigida a comprovação de entrada regular, no Brasil, de telefone celular estrangeiro, para fins de habilitação para uso. Portanto, ainda que estejam incluídos na cota de isenção, a identificação destes aparelhos deve constar da declaração e ser conferida pela fiscalização.

10. Menores 

Menores, acompanhados ou não, também têm direito à cota de isenção e, quando menores de dezoito anos, não poderão trazer bebidas alcoólicas, fumo, cigarros e semelhantes.
No caso de menores de dezesseis anos, acompanhados, prestará declaração o pai ou responsável. Quando desacompanhados, fica dispensada a apresentação da DBA, sem prejuízo dos procedimentos de verificação aduaneira.

11. Multas

Aplicar-se-á multa de 50% sobre o valor excedente à cota de isenção dos bens quando o viajante apresentar DBA falsa ou inexata.

Observação:

A opção pelo setor "Nada a Declarar" quando o viajante estiver portando bens sujeitos à tributação, equivalerá à apresentação de DBA falsa, para fins de aplicação da multa.

12. Bagagem extraviada

Quando houver extravio de bagagem, o viajante deverá solicitar registro da ocorrência ao transportador, no momento do desembarque, e procurar a Alfândega para visar esse registro, a fim de assegurar o direito à sua cota de isenção.

1. Atrazo de Vôo Caso ocorra atraso de vôo superior a quatro horas, a companhia aérea tem por obrigação lhe proporcionar todas as facilidades, como refeições, telefonemas, transporte de e para o aeroporto e acomodações, se for o caso. Se você não aceitar essas facilidades, preferindo viajar por outra companhia, só será possível se a passagem for endossável. A prática do endosso varia, tendo em vista as tarifas diferenciadas. Se desistir e preferir o reembolso, também será possível. Contudo, só haverá reembolso imediato quando, ao comprar o bilhete, o pagamento for em dinheiro. Fique atento, pois existem tipos de tarifas que não permitem a prática do reembolso!

2. Cancelamento de Vôo

Por parte da companhia aérea: Qualquer que seja o motivo do cancelamento, você tem direito ao reembolso da passagem, desde que tenha comprado em dinheiro. No caso de passagem adquirida por crediário, cartão de crédito ou cheque, a mesma só poderá ser utilizada em vôo de outra companhia, mediante prévia concordância da companhia aérea emitente da passagem. Se você adquiriu a sua por um desses sistemas, só terá o reembolso após quitado o débito com a companhia emitente. Por parte do passageiro: Se você desistir de voar ou quiser alterar sua viagem, deve antes consultar o seu agente de viagem ou a companhia aérea, tendo em vista as tarifas diferenciadas existentes e os vários procedimentos a serem observados para cada caso.


3. Extravio de Bagagem

Em vôos nacionais a. Procure a companhia aérea para reclamar sobre sua bagagem. Lá você deverá preencher o Registro de Irregularidade de Bagagem (RIB). Se a companhia deixar de cumprir com as suas obrigações ou se precisar de ajuda da autoriade aeronáutica, procure o Fiscal de Aviação Civil do DAC, localizado na Seção de Aviação Civil (SAC), nos principais aeroportos brasileiros. Se quiser reclamar oficialmente ao DAC, basta preencher o Impresso Sugestão e/ou Reclamação (ISR). b. Confirmado o extravio de bagagem, você terá que ser indenizado pela companhia. Você tem ainda a opção de declarar os valores atribuídos a sua bagagem antes do embarque, e pagar uma taxa suplementar (uma espécie de seguro) estipulada pela companhia. Vale lembrar que ela tem o direito de verificar o conteúdo da bagagem, sempre que houver valor declarado. Mas, atenção! Ficam de for a deste caso os objetos considerados de valor, como jóias, papéis negociáveis ou dinheiro. Tais objetos devem ser carregados na bagagem de mão, ficando a companhia isenta de responsabilidade sobre a perda ou dano destes objetos.

c. No caso de dano à bagagem, siga o mesmo roteiro do item "a". O DAC informa informa ainda que somente serão considerados, para efeito de indenização, os objetos destruídos ou avariados. Em vôos internacionais

No caso de vôos internacionais, a Convenção de Varsóvia limita a responsabilidade da companhia em US$ 20,00 por quilo, de bagagem extraviada. Também aqui você poderá optar por efetuar o despacho de seus pertences, resguardando-se por uma declaração especial de interesse na entrega da bagagem. Este documento discrimina minuciosamente o conteúdo da mala. Somente com essa declaração você poderá ser indenizado, prevalecendo a responsabilidade do transportador sobre os bens ali contidos. Se não for feita a declaração especial de interesse na entrega e não for paga a taxa suplementar, não haverá direito à indenização integral, mas à indenização limitada.

Sobre a bagagem de mão O Departamento de Aviação Civil, pela Portaria 957/GM-5, regula que a soma das dimensões do comprimento + largura + altura não pode exceder 115 centímetros e o peso cinco quilos. As empresas aéreas são responsáveis por verificar se as bagagens de mão encontram-se dentro das dimensões e peso estabelecidos. São responsáveis também por colocar uma etiqueta nessas bagagens com o número e a data do vôo. Vale lembrar que a INFRAERO não permitirá o acesso do passageiro no salão do embarque sem a devida bagagem de mão etiquetada.

Atenção: Essas regras valem apenas para vôos em aeronaves com mais de 50 assentos. No caso de aeronaves com capacidade de assentos menor, consulte a empresa aérea sobre as dimensões e peso permitidos para bagagem de mão.

Bagagem de mão livre de regulamentação Qualquer passageiro, exceto crianças até 2 anos pagando 10% da tarifa:
- Uma bolsa de mão, maleta ou equipamento que possa ser colocado embaixo do assento do passageiro com peso máximo de 5 kg e dimensão total (compr. + alt. + larg.) não excedendo a 115 cm (45 polegadas).

- Um sobretudo, manta ou cobertor.
- Um guarda-chuva ou begala
- Uma máquina fotográfica pequena e/ou um binóculo.
- Material de leitura para viagem em quantidade razoável.
- Alimentação infantil para consumo durante a viagem.
- Crianças até 2 anos pagando 10% da tarifa:
- Uma cesta ou equivalente (poderá também ser transportada no porão da aeronave).
- Passageiros incapacitados que dependem dos seguintes artigos:
- Muletas ou qualquer aparelho ortopédico.
- Cadeira de rodas, completamente desmontável (faz parte da franquia da bagagem de mão, sendo, porém, colocada no porão).
Whatsapp Meri     
Whatsapp Andrea 
Whatsapp Jurandir